top of page
  • Foto do escritorCWB SEXY

Shibari - Tecnica Japonesa - BDSM

Atualizado: 20 de jun. de 2023

SAIBA TUDO SOBRE O SHIBARI, TÉCNICA JAPONESA DO BDSM


Se você entende de BDSM muito provavelmente já deve ter ouvido falar no shibari. Shibari é uma técnica de amarração secular, tendo como base povos antigos do Japão. Tal técnica ganhou um imenso destaque em contextos sexuais, visto como uma forma de obter e dar prazer imobilizando a outra pessoa com cordas e nós.


Para adeptos de um sexo mais leve, sem muitos apetrechos, a técnica pode parecer um pouco estranha. Lembrando que, assim como em outros tipos de sexo, no BDSM também há limites, a intenção. Se você está procurando formas de apimentar o sexo, o shibari é uma opção bem quente. Entretanto, há certas coisas que devem ser considerados.


É por isso que preparamos esse post para lhes apresentar a técnica e as outras questões que a envolvem e deixar você por dentro desse assunto bem caliente.


Shibari - Tecnica Japonesa - BDSM

Se você procura estar sempre informado sobre as ''modalidades do sexo'', seja por curiosidade ou para apimentar suas relações, já deve ter ouvido falar sobre o significado de BDSM. Se nunca se deparou com o termo, sua tradução é: bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo.


A prática, assim como o ''sexo normal'', tem o objetivo de proporcionar prazer, seu diferencial é que se usa de alguns apetrechos com o intuito de deixar o clima mais quente! O BDSM tem muitas faces, o que o torna bem prazeroso de forma mais dura e intensa comparado com as relações sexuais comuns.


Para alguns, esses métodos parecem difíceis de serem compreendidos. Há sempre uma questão de dominar e ser dominado, varia muito de pessoa para pessoa, sendo algo bem pessoal.


Agora, para quem pensa que a satisfação pode ser atingida através de outras formas não tão tradicionais e adora inovar com novas sensações que chegam a enlouquecer os sentidos, o BDSM apresenta o shibari.


O shibari é uma técnica japonesa que consiste em dar e receber prazer através de uma amarração feita com cordas, suspendidas ou não, restingindo os movimentos e intensificando as sensações. Isso tudo acontece por uma mistura de fatores psicológicos e físicos.


Por ter um caráter bem pessoal, é bom lembrar que nem todas as pessoas estão aptas a fazer isso. A amarração necessita ser feita por pessoas que entendem do assunto, estudam e praticam há um bom tempo.

Existem técnicas específicas de amarrações, algumas pessoas preferem fazer apenas uma delas ou combiná-las. Elas são:

  • Ushiro: mãos são amarradas atrás das costas;

  • Gote Gasshou: mãos amarradas para trás e posicionadas em oração;

  • Hishi: consiste em criar formas de diamantes na amarração;

  • Matanawa: amarração com a corda nas áreas genitais.

  • Takate-kote: o tronco da pessoa é amarrado;

  • Tsuri: suspensão.

Cada ponto tem uma maneira única de estimular o prazer. Assim, novas zonas erógenas são apresentadas, aumentando ainda mais o repertório de conhecimento de seu próprio corpo ou do outro.

Mas observe isso: nada de pegar uma corda e sair se amarrando ou amarrando a pessoa que se relaciona sem ter ciência de como se faz. Assim você evita machucados e lesões que podem ocorrer por falta de técnica, assim como a insatisfação de não curtir o momento.


- Cuidados mentais e físicos para fazer o shibari

Shibari é um ato sexual que exige muito da mente e do corpo, no entanto, é preciso conhecer os limites. Até onde você aguenta ir? Você esta ciente do que envolve a prática? Seu físico está preparado para passar pela restrição que essa amarração envolve?


Pessoas traumatizadas sexualmente nem sempre são capazes de passar por essa técnica de amarração, tendo em vista que isso pode tocar em algum ponto dos pensamentos e sentimentos, causando terror e outro bloqueio.

Caso deseje conhecer essas novas sensações, é importante manter um acompanhamento psicológico e deixar o(a) parceiro(a) ciente. Acima de tudo, confiança é a chave!


Também é bom ter conhecimento do que acontece quando o corpo é cerceado. Por exemplo, é quase anulado os seus movimentos corporais, com isso os mecanismos de defesa e autopreservação são automaticamente ativados. Após a ativação, os neurotransmissores de prazer são liberados, causando reações físicas como o acelero do coração, sensibilidade a toques, entre outras coisas.


Sabe aquele momento em que vocês usam algemas, gravatas e outros objetos para amarrar e tudo fica mais intenso? Nesta técnica, acontece a mesma coisa, mas de forma muito mais potente.


- Importância de saber o que está fazendo: tudo do jeito certo!

O shibari não é realizado de qualquer forma, ou seja, não basta somente pegar uma corda e sair amarrando qualquer parte do corpo. É importantíssimo conhecer quais são os pontos certos.


Os pontos certos estimulam o prazer e a sensação de tranquilidade e leveza, ideal para diminuir um pouco a potência do bombardeio de sensações. Além dessa forma, pode ser usado como uma expressão artística, evidenciando os contornos do corpo.

Há as regiões do corpo que são proibidas, evitando assim, acidentes como asfixia, lesões em nervos e tendões, assim como comprometimento de algum membro ou músculo de forma não saudável. As áreas proibidas são:

  • Pescoço;

  • Áreas muito macias;

  • Articulações.


Além disso, é importante ficar de olho na pessoa ou em seu próprio corpo. Caso haja sinais de enjoos, estrangulamento e hiperventilação, é necessário suspender as amarras. Por isso, é indicado sempre deixar uma tesoura sem ponta por perto.


MAIS ALGUMAS OBSERVAÇÕES:


- O que é Shibari - BDSM?

O Shibari é uma arte japonesa que consiste na prática de amarrar outro corpo com cordas. Esta prática começou como um ritual religioso, em que as pessoas eram presas como uma forma de homenagem aos deuses. Hoje, o Shibari é usado como parte importante das práticas em BDSM (sigla para Bondage & Discipline, Dominance & Submission, Sadism & Masochism).


Enquanto o Shibari foi usado originalmente como uma prática religiosa, hoje é um tipo de bondage envolvendo um parceiro consensual em que uma pessoa amarra a outra com as cordas. Esta prática fornece senso de excitação, segurança e relaxamento aos participantes. O Shibari acontece em ambientes tranquilos, onde os parceiros podem se conectar com o seu eu interior através do bondage.


Uma vez que o Shibari tornou-se mais conhecido, muitas pessoas têm interesse em experimentar esta modalidade de BDSM. Para que isso aconteça com segurança, é importante para o parceiro dominante entender o que é Shibari e compreender os princípios básicos de segurança. Por exemplo, é importante que todos os nós sejam apertados sem ser excessivamente apertados. Além disso, as cordas precisam ser inspecionadas antes de serem utilizadas.


O Shibari é usado como um dos maiores meios de auto expressão, onde os praticantes podem sentir-se seguros e livres para expressar seus desejos e sentimentos em um ambiente acolhedor. O Shibari é comumente usado em sessões de BDSM onde o Bondage, a Disciplina, o Domínio, a Submissão, o Sadismo e o Masoquismo são explorados.


Para garantir a segurança dos participantes, é importante seguir algumas regras básicas. É recomendável estabelecer uma palavra-código para ambos os lados entenderem que, se for usada, significa que a sessão de Shibari está encerrada. Além disso, é importante ter o parceiro prender firmemente o nó para evitar deslizamentos ou um aperto muito apertado.


Como a prática de Shibari é amplamente proclamada nos circuitos de BDSM, a conscientização sobre os riscos envolvidos e a importância dos cuidados com segurança é essencial para garantir a diversão e o bem-estar dos participantes. Ao seguir a palavra-código, ter cuidado com os nós e usar apenas as cordas certas, os praticantes podem desfrutar de uma experiência Shibari segura e divertida.


- A Origem do Shibari - BDSM

O Shibari é um dos estilos mais populares de bondage japonês e é frequentemente associado aos praticantes do BDSM. Embora a prática seja mais conhecida nos tempos modernos, ela possui raízes históricas profundas que remontam aos séculos XVII e XVIII. O Shibari desenvolveu-se a partir de técnicas de amarração japonesas usadas para usos diversos. Estas técnicas, conhecidas como hojojutsu, foram desenvolvidas na era Edo do Japão como antigos métodos para capturar e amarrar prisioneiros japoneses. O conceito de Shibari mudou desde então, mas os princípios básicos de amarração ainda persistem.


Shibari é diferente de outros estilos de bondage como o Kinbaku, porque ele não foca na parte física do prisioneiro, mas sim na criação de uma obra de arte única. A arte de Shibari foca na sensação de liberdade, poder e conforto entre os praticantes de BDSM. Ao contrário do Kinbaku, que tem uma forte ênfase na estética erótica, o Shibari valoriza o sensorial e o simbólico. Embora a origem do Shibari seja controversa, ele foi amplamente usado em filmes perversos japoneses nos anos 70 e 80, tornando-se mais popular no Ocidente apenas nas últimas décadas. Hoje, ele é amplamente usado para fins saudáveis, como auxílio na terapia sexual ou até mesmo para prática real de BDSM.


Shibari une a força e o perigo de bondage com a poética e a estética erótica do BDSM. Usando nós, amarrações e outros elementos, o Shibari cria uma experiência única que leva a uma forma de estado meditativo conhecido como "kinbaku-bi", que significa "encantamento pelo bondage". O Shibari é então usado como ferramenta para intimidade, experimentação, cura e bem-estar sexual. Acima de tudo, o Shibari oferece aos praticantes uma chance de desfrutar de experiências únicas e expressar seu ser de forma criativa.


- Como Se Pratica Shibari - BDSM?

O Shibari é uma forma de arte japonesa de amarração ligada ao BDSM. O objetivo é criar formas estéticas com corda que usam princípios de pressão para deixar as amarras seguras em contato com a pele. É importante ter cautela durante a prática, pois é fácil provocar lesões se não seguir certas regras básicas de Shibari. É necessária muita experiência e prática para criar as amarras de forma segura.


Antes de começar a praticar qualquer tipo de Shibari, é importante saber que ele envolve uma relação de confiança entre as duas pessoas. Uma pessoa é levada a locais onde ela não tem controle, onde o outro tem total autoridade. É importante que ambas as pessoas entendam a profundidade da troca e que sejam honestas sobre os seus sentimentos e limites antes de começar a praticar.


Antes de amarrar qualquer parte do corpo, a corda usada deve ser examinada cuidadosamente. É importante usar cordas que estejam em boas condições, pois elas têm mais resistência e são mais seguras. É necessário usar uma quantidade adequada de cordas, pois isso evita que a pele fique marcada durante as amarras. Além disso, todas as cordas devem ser enroladas completamente para evitar o atrito.


O próximo passo é aprender as técnicas básicas de amarração. O Shihori é um estilo de amarração tradicional que tem a ver com compreender as tensões e pressões que podem ser criadas ao segurar e mover as cordas. Uma vez que você entenda o básico, você pode começar a experimentar e encontrar o que funciona melhor para você.


Uma vez que você tenha compreendido as técnicas de Shibari, você pode começar a experimentar os diferentes tipos de amarras. É importante que as pessoas pratiquem juntas e comunicar os seus sentimentos durante o processo para garantir que ambos se sintam confortáveis. Você também precisa encontrar a chave certa para desfazer as amarras, pois se forem desfeitas inadequadamente, isso pode causar danos ao corpo.


O Shibari é uma ótima forma de criar intimidade entre duas pessoas. Pode servir como um ritual de conexão, pois é uma forma muito intima de expressão. É importante lembrar que a prática de Shibari deve ser realizada com cautela e respeito, pois é necessário manter o equilíbrio entre o prazer e o disconforto. Se praticado de forma responsável, o Shibari pode ser uma experiência maravilhosa para quem a pratica.


- Benefícios da Shibari - BDSM

A Shibari é uma forma de arte corporal que vem da cultura japonesa. É frequentemente utilizada como um método de BDSM e tem muitos benefícios. A Shibari tem suas raízes na cultura japonesa relacionada à arte da cuerdas, que é chamada de Hojojutsu. A Shibari usa cuerdas e teias para amarrar o parceiro em posições que permitem maior proximidade e intimidade. O processo pode ser baseado puramente na arte ou usado para fins de BDSM.


Usar Shibari tem inúmeros benefícios que vão muito além dos jogos eróticos. Através de suas técnicas de amarração, você pode descobrir seu próprio corpo e o de seu parceiro e explorar possibilidades novas e emocionantes. O mais importante é que ele pode ajudar as pessoas a construir intimidade e conexão.


Ele também tem benefícios para a saúde mental e física. Alguns especialistas dizem que a Shibari libera substâncias químicas como endorfinas, oxitocina e prolactina que ajudam a aliviar o estresse e melhorar o humor. Além disso, alguns jogos podem até mesmo ajudar a aliviar a dor crônica.


Outro benefício é que pode ajudar a melhorar a comunicação entre os parceiros. Durante a Shibari, os parceiros precisam se comunicar claramente para que a cena seja segura e prazerosa para ambos. Isso ajuda a desenvolver uma compreensão e consciência mútua, já que você está compartilhando e recebendo informações.


A Shibari também pode ajudar os parceiros a se conectar em um nível mais profundo. O processo de Shibari pode proporcionar um sentimento de intimidade que é muito raro de ser encontrado. Isso pode ajudar a aumentar o sentimento de confiança e ligação entre os parceiros.

A Shibari também dá ao parceiro a chance de se sentir seguro e confiante. Durante a Shibari, a pessoa comandante e a que tem as cuerdas estão totalmente sob o controle da outra pessoa. Isso torna a relação dos parceiros mais equilibrada e íntima. Além disso, a Shibari pode oferecer a ambos um sentimento de liberdade.


Portanto, os benefícios da Shibari - BDSM são inúmeros. Ajuda a melhorar a comunicação entre os parceiros, aumenta a confiança e ligação entre eles e oferece um sentimento único de liberdade e intimidade. Além disso, a Shibari pode ter efeitos positivos na saúde mental e física, liberando substâncias químicas que melhoram o humor e aliviam a dor crônica.


- Estereótipos da Shibari - BDSM

A Shibari (também conhecida como Kinbaku) é um estilo de BDSM japonês com mais de meio século de tradição e um dos estilos de BDSM mais conhecidos e praticados em todo o mundo. No entanto, desde a popularidade crescente da Shibari, existem alguns estereótipos erroneamente associados a ela. Estes estereótipos podem ser extremamente perigosos e inadequados, especialmente para iniciantes ou pessoas interessadas no estilo de vida BDSM.


Por exemplo, muitos acreditam que a Shibari é obrigatoriamente sobre "sexo" ou "prazer", quando na verdade é muito mais centrada na experiência, conexão e consenso entre parceiros. Além disso, a Shibari não depende necessariamente de equipamentos caros ou complexos, como fios especiais ou grampos, para se desenvolver. De fato, a Shibari é praticada com cada vez menos recursos tecnológicos e mais consenso entre parceiros. Em última análise, a Shibari é extremamente subjetiva - cada especialista tem um estilo único e individual para a prática, portanto, é importante considerar esse estilo como parte da Shibari - BDSM em geral.


- A Experiência do Shibari - BDSM

A Experiência do Shibari - BDSM - é uma prática milenar de realizar restrições usando cordas feitas especialmente para o propósito. Como um estilo de expressão de afeto, Shibari é uma prática de BDSM popular que pode ser extremamente prazerosa, erótica e consensuada para todos os envolvidos. Muitos consideram essa prática como uma forma de arte, pois envolve criatividade, controle e habilidade. Embora possa ser sexualmente estimulante, Shibari não necessariamente é uma prática sexual.


Shibari é, acima de tudo, uma prática com consentimento e não deveria ser feita sem o consentimento explícito e consciente de ambas as partes envolvidas. Além disso, é de grande importância para os praticantes possuírem algumas características básicas de Shibari, como o bom uso da corda e técnicas adequadas para a segurança de si e do parceiro. Além disso, é importante lembrar que a prática do Shibari não é uma resposta pronta e deve ser tratada com carinho e cuidado.


As práticas de Shibari foram desenvolvidas ao longo dos séculos, e é uma combinação única de tradições culturais, artísticas e práticas espirituais. Muitos a consideram uma forma de meditação, pois cada sessão envolve o calor, o contato físico e a conexão entre as partes envolvidas.

Shibari requer muita prática para se tornar experientes, pois é uma técnica sensível e também pode ser extremamente gratificante, tanto para o algoz quanto para o alvo.


Dessa forma, é importante conhecer os riscos e prós da prática, bem como ter um conhecimento sobre as técnicas para fazê-lo em segurança. Embora Shibari possa ajudar na melhoria da autoestima, sensualidade e sexualidade, também é importante ter em mente que não é uma atividade para ser praticada durante a gravidez ou para pessoas com dores ou limitações.


A Experiência do Shibari - BDSM é uma prática muito bonita e especial, que está crescendo em popularidade a cada ano - com boas razões. É importante lembrar que Shibari deve ser feito com precauções, consentimento e segurança, pois há riscos associadas, tais como lesões, que podem levar a complicações mais sérias. Por fim, as práticas do Shibari são extremamente gratificantes e prazerosas, desde que sejam realizadas com cuidado, consciência e respeito.


- O Shibari como Parte do BDSM

O Shibari é uma prática milenar originada no Japão que consiste em adornar o corpo humano com estilos originais de ligação. Esta prática é uma das diversas formas de BDSM, um termo usado para descrever os jogos sexuais em que as atividades baseadas em prazer envolvem o uso da dor física e da submissão. O Shibari, como parte deste estilo, realça o verdadeiro significado do BDSM: aceitar e confiar na outra pessoa; criar um ambiente seguro e saudável para explorar seus limites. A prática do Shibari tem se destacado como um estilo de BDSM interessante por sua estética.


No entanto, é importante lembrar que o Shibari sempre deve ser feito por um parceiro experiente, pois exige que haja confiança e segurança entre aqueles que estão praticando. Embora seja divertido explorar a si mesmo e a outros, é importante que se siga a etiqueta do BDSM e relação consensuais. O Shibari gera algumas sensações físicas e mentais que são extremamente intensas, para que possam ser desfrutadas de forma segura, é importante que os participantes entendam as limitações de cada um. Dessa forma, é possível crescer juntos, adaptando-se às necessidades individuais de forma mais consciente.


- As Diferentes Formas de Shibari - BDSM

O Shibari é um estilo de bondage relacionado ao BDSM. O termo deriva do verbo shibaru, que significa literalmente “ligar” em japonês. O Shibari é conhecido por ser um estilo de amarração que alia beleza e elegância ao erotismo. É um estilo extremamente popular na comunidade BDSM devido às suas múltiplas formas de amarração, que permitem ao praticante explorar diversas formas de estimulação sensorial. A prática pode incluir o uso de cordas em padrões complicados, fitas adesivas, algemas, cintas e outros itens utilizados para suspender ou limitar os movimentos do parceiro.


A chave para praticar o Shibari com segurança é obter treinamento adequado. Este treinamento pode incluir a formação de um ou mais parceiros nas técnicas adequadas e nos vários tipos de equipamentos utilizados. Além disso, é necessário conhecer os princípios básicos de segurança e ter conhecimento da anatomia humana para evitar qualquer risco de lesões. Quando praticado corretamente, o Shibari pode ser extremamente gratificante, tanto para quem o pratica quanto para quem o experimenta.


Há várias formas diferentes de Shibari para experimentar. Uma forma é o Kinbaku, em que as laces são usadas para criar um efeito visual elegante, bem como estimular as áreas sensíveis do corpo. Outra forma é o Hojojutsu, onde as cordas são usadas para criar estruturas suspensas. Muitas vezes, as cordas são usadas para amarrar uma pessoa à cama ou à uma base plana. Outra técnica, chamada Shibarare, envolve a construção de laços usando varas, o que cria um efeito de suspensão. Por último, a técnica Ishikiuchi envolve o uso de várias cores de cordas para criar um padrão complicado.


Independentemente da técnica de Shibari escolhida, é importante garantir que os participantes se sintam seguros e confortáveis durante as sessões. É importante lembrar que o Shibari não deve ser uma atividade motivada pela dor. Quando bem praticado, esse estilo de bondage pode oferecer uma experiência intima e aumentar a conexão entre um parceiro.


- Segurança é Prioridade no Shibari- BDSM

Para quem deseja experimentar e realizar o Shibari- BDSM, a segurança é a prioridade maior. Um dos fatores mais importantes para a prática bem-sucedida do Shibari é o entendimento econhecimento de ambos os lados sobre os elementos da segurança. Durante o planejamento, planeie tudo o que você deseja e alcance o equilíbrio perfeito entre o Shibari- BDSM e a segurança de todos os envolvidos. É importante que você entenda os códigos básicos e os métodos de segurança do Shibari- BDSM. A regra básica de segurança é que todos os envolvidos devem acordar do jogo com a mesma saúde mental e física com que começaram.


Antes de começar a praticar o Shibari- BDSM, como é o caso de qualquer outro estilo de BDSM, pesquise, estude e realize o treinamento pos prática. Procure sempre conselhos de mentores e profissionais antes de iniciar as sessões. Certifique-se de que você e seu parceiro pratiquem o Shibari- BDSM da maneira mais segura possível. É aconselhável que você desenvolva um conjunto de regras e sinais para preservar a segurança no Shibari- BDSM.


É importante discutir sobre qualquer possível sinal ou preocupação hierárquica com seu parceiro antes de iniciar o trabalho com Amarras e controle de segurança. Quando se trata do Shibari- BDSM, o diálogo e a comunicação são muito importantes. Cada pessoa participante deve prestar muita atenção à segurança, à confiança e ao bem-estar psicológico e físico de seu parceiro, pois se você está praticando o Shibari- BDSM de forma segura, isso não significa que seu parceiro também o esteja. Se a sua parceira/ parceiro não estiver se sentindo segura/seguro, não continue. A segurança é essencial para o bom desempenho desse tipo de Shibari- BDSM.

Por último, é importante que você se sinta confortável em um ambiente de Shibari- BDSM. Ajeite o seu espaço de forma que se sinta à vontade durante a sessão. Aproveite ao máximo o seu Shibari- BDSM, desfrutando das habilidades e das sensações.


Se seu parceiro estiver experimentando algum mal-estar ou dor, pare imediatamente e verifique o que está acontecendo. Se você seguir estas regras, desfrutará de tempos agradáveis e seguros de Shibari- BDSM com seu parceiro.

 
102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page