top of page
  • Foto do escritorCWB SEXY

O que não te contaram sobre a iniciação sexual - pós virgindade

Atualizado: 7 de mai. de 2023

A virgindade é um tema tabu ainda hoje e, de certa forma, é vista como uma função que não leva a mais nada. Porém, a realidade pode ser muito diferente. A iniciação sexual é mais do que simplesmente penetração - é também um momento em que você pode usufruir do seu próprio corpo e se conectar intimamente com um parceiro.


Por isso, é importante entender que, embora a transição para a vida sexual possa ter alguns desafios, ela também é cheia de possibilidades. Quando você aborda a virgindade como algo sagrado, pode começar a descobrir seu próprio corpo e suas próprias sensações. Na prática, esta iniciação pode significar a descoberta de práticas sexuais diferentes, sexo oral, masturbação e relações sexuais com penetração, dependendo da preferência de cada pessoa.


Mesmo que às vezes pareça pouco provável, o fato é que um momento como este pode realmente ser algo maravilhoso, e isso faz toda a diferença. Assim como qualquer outra forma de amor, a iniciação sexual pode ser segura e calorosa, desde que esteja dentro de um contexto em que você se sente seguro, longe de todos os judgements possíveis. No final, a virgindade não é algo que você tem que perder para fazer algo melhor, mas sim algo que você pode desfrutar e tornar parte de sua vida sexual.



1. Não existe uma idade certa para perder a virgindade


É comum que muitas pessoas acreditem que há uma idade certa para perder a virgindade, mas, na verdade, ela não existe. A virgindade é culturalmente definida de diferentes maneiras em todo o mundo, o que significa que as pessoas diferem em seus pontos de vista sobre a iniciação sexual. Alguns países têm leis sobre a idade do consentimento sexual, que definitivamente devem ser respeitadas, mas, além disso, é importante lembrar que seu corpo é seu e que você é dono das decisões relacionadas à sua vida sexual.


Aqui estão algumas das principais razões pelas quais perder a virgindade em uma determinada idade não é a melhor ideia: Primeiro, quando se trata de iniciação sexual, a maturidade emocional e o autoconhecimento são importantes. Se você se sentir pronto para ter relações sexuais, isso é ótimo. No entanto, se você não tiver certeza, pode ser melhor não fazê-lo. Além disso, lembre-se de que perder a virgindade nem sempre é fácil. É importante estar preparado mental e emocionalmente para lidar com quaisquer consequências negativas que possam surgir.


Finalmente, lembre-se de que não há uma idade certa para perder a virgindade. A decisão de iniciar relações sexuais deve ser feita com base na sua própria maturidade emocional, no autoconhecimento e na compreensão dos riscos e benefícios envolvidos. Portanto, é melhor pensar cuidadosamente sobre suas decisões em relação à iniciação sexual e ouvir o conselho de pessoas de confiança antes de tomar qualquer decisão.


2. “Dar a virgindade” não é um ato de amor!


“Dar a virgindade” é um termo muito comum que tem sido usado para descrever o momento da vida de uma pessoa em que ela perde sua virgindade. Ele sugere que dar a virgindade é um ato de amor, mas na verdade não tem nada a ver com isso. A verdade é que “dar a virgindade” é uma expressão muito antiga usada para descrever uma pessoa que perdeu sua virgindade para alguém, mas isso não tem nada a ver com amor. É claro que ter um relacionamento sexual com alguém não significa necessariamente que você se ama, e muitas vezes isso pode ter implicações negativas, como gravidezes indesejadas ou doenças sexualmente transmissíveis. É importante dizer que dar a virgindade, como é comumente conhecido, simplesmente não é um ato de amor: isso é um ato de escolha consciente e um compromisso entre duas pessoas.


3. É possível engravidar na primeira relação sexual


A gravidez é um dos principais assuntos quando o assunto é o início da vida sexual, pois ela determina os cuidados que devem ser tomados antes e depois da relação sexual, para que não haja nenhuma complicação. E, ao contrário do que muitos pensam, é possível sim engravidar na primeira relação sexual sem o uso de preservativo ou qualquer outro método contraceptivo.


Sendo assim, é importante que os jovens saibam que as chances de gravidez na primeira relação sexual existem e que, se isso acontecer, eles entendam que a responsabilidade de lidar com imprevistos é de ambas as partes. Além disso, é recomendável que, antes de iniciar uma relação sexual, seja considerado o uso de preservativo ou anticoncepcional, pois isso é uma forma de se prevenir de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e, claro, evitar uma gravidez indesejada.


Os adultos também precisam atentar-se para o fato de que, se engravidar na primeira relação sexual, existem inúmeras consequências, como dificuldades financeiras e emocionais. Por isso, é importante que todos os envolvidos saibam das possíveis consequências e adotem medidas preventivas para que, caso a gravidez aconteça, possam se preparar para as mudanças que esse fato trará.


Enfim, é importante que os jovens saibam que é possível engravidar na primeira relação sexual e que, por isso, medidas preventivas são extremamente recomendadas – seja o uso de preservativo ou anticoncepcional – para que não haja nenhuma complicação. É importante também lembrar que, caso haja uma gravidez na primeira relação sexual, existem consequências e, por isso, os envolvidos precisam se preparar para lidar com elas e tornar o momento o mais amigável possível.


4. Perder a virgindade não significa que irá romper seu hímen


Perder a virgindade não é tão simples como se pensa. Embora em muitas culturas a "perda da virgindade" seja associada à ruptura de um hímen, a verdade é que isso não é sempre verdade. Normalmente, a perda da virgindade tem a ver com alterar a forma como uma pessoa pensa e sente sobre ela mesma, enquanto que a ruptura do hímen é apenas uma parte disso. Mesmo que a ruptura do hímen seja um fator importante para perder a virgindade, existem outras abordagens importantes que devem ser consideradas. Por exemplo, mudanças em seu senso de identidade, atitudes e comportamentos relacionados à sexualidade desempenham um papel fundamental na perda da virgindade. Além disso, a possibilidade de a perda da virgindade não romper o hímen depende de fatores como o tamanho, a flexibilidade e o desenvolvimento do hímen. Por isso, as pessoas devem estar cientes de que, embora rompa o hímen seja um grande símbolo da perda da virgindade, não é sempre necessário.


5. Perder a virgindade pode não ser muito prazeroso


Perder a virgindade é uma experiência histórica para muitas pessoas, mas ela nem sempre é tão prazerosa como as pessoas podem imaginar. Muitas vezes, ter um parceiro inexperiente pode levar a uma experiência frustrante. Além disso, perder a virgindade pode ser um evento julgado como vergonhoso e estigmatizado em algumas culturas. Não ter certeza de como se sentir e não estar preparado para enfrentar as consequências também pode tornar a experiência menos prazerosa.


Existe uma série de fatores que podem afetar como se sente quando se perde a virgindade. Por exemplo, religião, etnia, intensidade da dor ou o próprio sentimento de sentimentos de vergonha ou culpa. É importante estar consciente desses fatores ao considerar perder a virgindade.


É importante ter em mente que perder a virgindade não é algo a ser feito às pressas. É recomendável que se tenha certeza sobre os próprios sentimentos e estar seguro e confortável com a pessoa que se está se relacionando. Se não estiver preparado, perder a virgindade não pode ser muito prazeroso.


Também é essencial entender o próprio corpo e buscar formas de aliviar qualquer dor ou desconforto, como usar lubrificante e tomar relaxantes musculares. Isso pode ajudar a tornar a experiência bem mais prazerosa e satisfatória. Além disso, a linha de diálogo aberta é chave quanto à perda da virgindade, portanto é importante que você e seu parceiro falem sobre o que estão se sentindo.


Existem muitas coisas a considerar sobre a perda da virgindade, mas se você estiver preparado e pronto para isso, não precisa se preocupar. Seguir essas etapas de preparação para perder a virgindade pode ajudá-lo a criar uma experiência muito mais prazerosa e confortável.


6. O diálogo pós-transa é essencial


A primeira relação sexual é sempre uma experiência única e significativa na vida de qualquer pessoa. É um grande passo para descobrir a própria identidade sexual, alinhar expectativas e também descobrir mais sobre seu parceiro. No entanto, a experiência pode ser ainda mais gratificante se acompanhada de um diálogo aberto e honesto entre o casal.


Não importa se foi uma experiência boa ou não, ter um diálogo ajudará a construir um laço de confiança entre os parceiros que beneficiará as relações a longo prazo. É importante que os parceiros expressem seus sentimentos e expectativas, para que possam entender melhor o que o outro está pensando e sentindo. As discussões que os parceiros estão tendo, ou deveriam ter, depois da primeira relação sexual é vital para a relação deles.


Embora inicialmente possa ser constrangedor falar sobre isso, é importante que os parceiros usem palavras gentis, como "Eu sinto isso” ou “Eu gostaria disso”, para expor seus sentimentos. Esta abordagem sensível ajudará a se estabelecer um relacionamento de confiança, onde o diálogo fluirá de forma natural.


Importância do diálogo, menos tabus e mais esclarecimento. É importante explicar ao outro o que foi agradável, o que se deseja mudar ou o que se prefere fazer em um encontro. O diálogo aberto entre o casal é o caminho mais fácil para atingir satisfação sexual e abertura para experimentar novas coisas.


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page