top of page
  • Foto do escritorCWB SEXY

Motivos que podem levar à pouca ejaculação!

Atualizado: 7 de mai. de 2023

A ejaculação é um dos principais aspectos da função sexual masculina. Embora existam muitos fatores que influenciam a qualidade dessa função, a ejaculação é um dos mais importantes. Por isso, é importante que você saiba quais são as principais causas de pouca ejaculação para que possa tratá-las de forma adequada. Existem vários motivos que podem levar à pouca ejaculação, desde problemas ligados à saúde, como doenças crônicas ou deficiências hormonais, até fatores psicológicos, como ansiedade ou estresse.


No entanto, existem alguns dos motivos mais comuns que podem levar a uma ejaculação reduzida. Primeiro, estão condições médicas, como diabetes, hipertensão arterial, doença de Parkinson ou cirrose. Essas doenças podem causar desequilíbrios hormonais ou outros problemas que podem levar à pouca ejaculação. Além disso, o uso de alguns medicamentos, como antidepressivos ou anti-hipertensivos, também pode causar esse problema.


Outro motivo para a pouca ejaculação são fatores psicológicos, como ansiedade, estresse e depressão. Esses problemas podem interferir na criação da libido e, com isso, reduzir a ejaculação. Por fim, problemas na função erétil podem também levar à ejaculação reduzida. A impotência é um dos mais importantes fatores que podem levar à pouca ejaculação, pois pode reduzir a qualidade e a quantidade da ejaculação.


Portanto, é importante conhecer os principais motivos que podem levar à pouca ejaculação para que você possa tomar medidas para melhorar sua saúde sexual. Se sentir que está sofrendo com esse problema, converse com seu médico e procure ajuda.



1. Ejaculação retrógrada pós cirurgia na próstata


A ejaculação retrógrada é uma complicação que pode ocorrer após a cirurgia na próstata e causar desconforto e embaraço aos pacientes. O procedimento comumente conhecido como cirurgia na próstata, é realizado para remover parte ou toda a próstata (prostatectomia) e pode causar complicações como ejaculação retrógrada. Nesta condição, os espermatozoides são direcionados de volta para a bexiga ao invés de sair pelo pênis durante a ejaculação.


Ao contrário do que muitos pensam, a ejaculação retrógrada é relativamente comum após a cirurgia da próstata. Estudos mostram que cerca de 70% dos homens submetidos a uma prostatectomia podem desenvolver esta condição. Embora esta complicação possa ser embaraçosa para muitos homens, ela raramente afeta a fertilidade e a saúde sexual de modo geral.


A ejaculação retrógrada pode ser tratada com medicamentos como antisseminogênicos, que são usados ​​para bloquear ou inibir o esperma da entrada na bexiga. Estes medicamentos podem ajudar a prevenir a ejaculação retrógrada e também podem ser usados ​​para tratar a condição. Além disso, alguns homens encontram benefício em mudanças na dieta ou no estilo de vida, como um aumento na ingestão de líquidos, o que pode ajudar a reduzir os sintomas da ejaculação retrógrada.


Finalmente, muitos homens têm descoberto alívio ao experimentar cirurgias de restoração de ejaculação, onde os especialistas procuram reparar a anastomose entre a uretra e a bexiga. Estes procedimentos são normalmente realizados sob anestesia geral e envolvem a reconstrução de tubos dentro do corpo para redirecionar o esperma. Embora esta cirurgia seja eficaz na maioria dos casos, ela não é sem riscos e pode trazer complicações adicionais.


Como os homens enfrentam o risco de desenvolver ejaculação retrógrada após a cirurgia da próstata, é importante que eles sejam informados sobre os tratamentos disponíveis e apropriados para a condição. A ejaculação retrógrada pode causar desconforto e embaraço, mas felizmente existem maneiras de aliviar os sintomas. Por meio do uso adequado de medicamentos, mudanças na dieta ou no estilo de vida e procedimentos cirúrgicos especializados, os homens podem obter alívio dos sintomas desta condição.


2. Ejaculação retrógrada por mau funcionamento do esfíncter


A ejaculação retrógrada é um transtorno que ocorre quando o esfíncter espermático (um músculo responsável por controlar a saída do sêmen durante a ejaculação) não está funcionando corretamente. Quando isso acontece, a ejaculação não acontece normalmente e o sêmen ainda é expulso de volta para a bexiga. Isso também pode acontecer se os ductos deferentes estiverem bloqueados. A ejaculação retrógrada pode ser uma causa de infertilidade, pois o sêmen não é liberado para o útero para fertilizar o óvulo.


Existem vários sintomas associados à ejaculação retrógrada, como dor na hora da ejaculação, dor abdominal e dor na região genital. Os homens também podem sentir desconforto ao urinar ou um fluxo de urina fraco ou intermitente. A ejaculação retrógrada também pode levar à infecção do trato urinário, pois o sêmen retorna à bexiga.


O diagnóstico de ejaculação retrógrada é realizado por meio de testes, incluindo análise dos níveis de hormônios, testes de imagem, como ecografia transretal e tomografia computadorizada. O médico também pode realizar testes de urina para verificar se o sêmen está presente na urina. Após o diagnóstico, o tratamento pode incluir medicamentos para reduzir a dor, se houver, e cirurgia para corrigir os problemas de esfíncter ou dutos.


Além da cirurgia, o paciente pode optar por tratamentos alternativos, como fisioterapia do assoalho pélvico e acupuntura para ajudar a aliviar os sintomas. Também é importante que o paciente siga as orientações do médico para cuidar da saúde sexual.


A ejaculação retrógrada pode levar a complicações, como infertilidade e problemas de saúde sexual. Por isso, é importante procurar ajuda médica assim que surgirem sintomas, que podem variar de pessoa para pessoa. Os tratamentos podem incluir medicamentos, cirurgia ou terapias alternativas para aliviar os sintomas e impedir o mau funcionamento do esfíncter e o retorno sanguíneo do sêmen. A ejaculação retrógrada não precisa ser uma causa de preocupação para a vida sexual, contanto que sejam tomadas as medidas adequadas para manter a saúde sexual.


3. Genética


Conforme descoberto em alguns estudos científicos, ejacular pouco pode ser questão de genética para alguns homens. O estudo mostra que alguns homens nascerão com uma predisposição menor para produzir quantidades significativas de esperma, enquanto outros podem gerar quantidades consideráveis. Segundo os cientistas, os estudos são importantes para que os homens possam ter uma melhor compreensão de seus problemas de saúde. Isso pode ajudá-los a identificar os fatores, tais como a genética, que podem estar influenciando o nível de ejaculação. Além disso, conhecendo melhor a sua saúde, eles podem tomar melhores decisões com relação ao seu tratamento e a sua vida sexual.


Porém, é importante lembrar que este tipo de problema não é exclusivo somente à saúde masculina, pois, outras questões como o estresse emocional, a depressão e problemas de saúde mental podem também influenciar na quantidade de esperma produzido. Logo, se você está preocupado com o seu ejaculado pouco, é muito importante consultar um especialista para tratar de forma adequada o problema.


4. Frequência sexual


Muitos homens se perguntam se ejacular pouco pode ser questão de frequência sexual. O fato é que, em alguns casos, sim, pode ser o resultado de uma menor frequência sexual. O motivo para isso é que a frequência sexual tem um papel importante na saúde masculina, e uma baixa frequência sexual pode levar a diferentes problemas, como a diminuição na produção de sêmen.


O sêmen é um fluido que contém espermatozoides e outras substâncias importantes para a fertilidade masculina. Quando os homens ejaculam pouco, a quantidade de sêmen produzido também é reduzida. Isso porque, durante um período de tempo mais longo, não há ejacular pouco que contribua para o aumento da produção de sêmen.


Além disso, uma baixa frequência sexual pode também levar a outros problemas, como o desenvolvimento de problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão. Por isso, é importante ter uma vida sexual saudável e frequente para garantir um bom funcionamento do corpo e da mente.


De acordo com os especialistas, as frequências normais de ejacular pouco são entre 1 a 3 vezes por semana, embora isso possa variar de acordo com a idade do homem e o seu estado de saúde. Se o homem ejacula menos que isso, pode ser um indício claro de que o seu desempenho sexual está sendo afetado por uma baixa frequência.


No entanto, também é importante lembrar que ejacular pouco pode ser causado por outros fatores além da frequência sexual, como alguns medicamentos, estresse, ansiedade ou doenças subjacentes. Então, se você está notando que está ejacular pouco, é importante consultar um médico para descobrir a causa e começar a tratá-la.


5. Idade


É importante notar que a frequência da ejaculação pode variar de homem para homem e pode ser influenciada por outros fatores, como idade, nível de atividade sexual, estresse, consumo de álcool e tabaco, saúde mental e bem-estar geral. Se você é idoso e está preocupado com o fato de ejacular menos do que costumava, pode ser que existam alguns motivos reais para isso. Isso geralmente se deve a uma combinação de menos desejo sexual, menor produção de hormônio masculino - testosterona, diminuição da elasticidade dos tecidos do pênis e até mesmo a presença de condições de saúde subjacentes, como diabetes. Como a ejaculação envolve processos hormonais e físicos complexos, fatores como idade podem ter um efeito significativo no desempenho sexual masculino.


Embora ejaculando menos não seja motivo de preocupação para todos os homens com idade avançada, alguns podem querer conversar com um profissional de saúde sobre a redução da potência sexual. Se você estiver preocupado com o fato de ejacular pouco, o seu médico pode oferecer tratamentos para ajudá-lo a melhorar a função sexual. Esses tratamentos podem incluir medicamentos, aconselhamento ou, em alguns casos, cirurgia. Ao fazer isso, é possível que os homens mais velhos possam obter melhorias significativas no desempenho sexual, como melhor frequência e qualidade da ejaculação.


6. Infecções ou inflamações


Ejacular pouco pode estar relacionado a diferentes fatores. Embora possa ser devido a problemas físicos ou mentais, a principal causa das alterações na quantidade de ejeção é geralmente infecção ou inflamação. Neste artigo, vamos abordar esses fatores e explicar como identificá-los e tratá-los.


As principais razões para ejacular pouco incluem infecções, doenças venéreas, inflamação na próstata ou uretra e outros problemas. A inflamação na próstata, conhecida como prostatite, é uma condição comum que pode afetar os homens mesmo sem ter relação sexual. A infecção nos órgãos genitais, embora rara, também pode afetar o nível de ejaculação de um homem. Em casos em que a infecção não foi tratada ou é persistente, pode causar sintomas como dor, ardor ou pressão ao redor da pélvis e até mesmo dor durante a relação sexual.


Se você suspeita que esteja tendo problemas para ejacular, é importante procurar ajuda médica qualificada. O médico poderá ajudá-lo a determinar se há uma infecção ou inflamação responsável pela alteração do nível de ejaculação. Uma vez identificadas as causas, ele poderá recomendar o tratamento mais adequado para tratar a condição. Além de prescrever medicamentos, o médico também pode recomendar mudanças no estilo de vida, como ter mais cuidado com a higiene genital, para evitar infecções futuras.


Se você já teve ejacular pouco por um longo período de tempo, é importante descobrir o que pode estar causando esse problema. Infecções ou inflamações podem ser uma causa comum e tratáveis e, desta forma, é importante procurar ajuda médica para determinar a causa e tratar adequadamente. Tratar essas condições pode ajudar a melhorar a fertilidade e saúde geral, além de prevenir problemas futuros.


7. Infecções ou inflamações


Muitos homens têm dificuldades para ejacular pouco durante as relações sexuais. Esse problema muitas vezes é considerado um indicador de problemas significativos na saúde. No entanto, nem sempre essa é a causa principal. Às vezes, ejacular pouco pode ser uma questão medicamentosa. Diversos medicamentos podem ter como efeito colateral a redução do volume de esperma liberado durante a ejaculação.


Os medicamentos que podem ter este efeito colateral variam, e incluem antidepressivos, remédios para pressão arterial, medicamentos usados para combater o câncer e alguns antidepressivos. Embora o efeito colateral seja menos severo que os efeitos colaterais da maioria dos outros medicamentos, o fato é que o mínimo de sêmen liberado durante a ejaculação pode ser muito menor do que o esperado.


Alguns homens também podem experimentar dificuldades para ejacular por causa de um problema de saúde subjacente. Pessoas que sofrem de diabetes, pressão alta, infecção nos rins ou doença de próstata, por exemplo, podem ter um volume reduzido de sêmen. O stress também pode ser um fator subjacente.


Para determinar a causa exata, é importante procurar assistência médica. Se você estiver tomando algum medicamento, não se esqueça de compartilhá-lo com o seu médico. Se o seu médico descobrir que o médico ajustou o medicamento, ele pode recomendar outro medicamento menos impactante na ejaculação. Além disso, é possível ajustar a dosagem para reduzir os efeitos colaterais desagradáveis.


Se o seu médico descobrir que a causa é um problema de saúde subjacente, ele pode recomendar tratamentos para tratar esse problema. Se o stress for a causa raiz, ele pode recomendar opções de tratamento que incluem a terapia, a meditação e outras formas de gestão de estresse.


Em qualquer que seja a causa, é importante procurar tratamento médico para determinar a causa exata da ejaculação pouca. O tratamento adequado pode ajudá-lo a voltar a ter as experiências sexuais desejadas.


8. Tratamentos químicos e anabolizantes


Ejacular pouco pode ser um problema tanto para homens quanto para mulheres, já que a quantidade de esperma produzido pelo organismo é um dos principais componentes do desempenho sexual. Além disso, pode ser um sinal de que algo não vai bem com a saúde sexual dessa pessoa. Se você está passando por esta situação, a primeira coisa que você precisa fazer é descobrir o que pode estar causando o problema. A razão mais comum do volume reduzido de esperma pode ser devido a tratamentos químicos e anabolizantes, podendo ser sintomas de algum outro problema de saúde.


Alguns medicamentos, como anti-andrógenos e antidepressivos podem causar uma redução no volume do esperma, mas outros problemas, como dificuldades hormonais e déficits nutricionais, também podem reduzir a quantidade de sêmen ejaculado. Além disso, problemas como diabetes, doenças autoimunes, cirurgias e outras doenças crônicas, podem afetar a produção de esperma. Então, se você está tendo problemas com ejacular pouco, é importante que você faça exames para descobrir se existe algo que possa estar causando esse problema.


Se for identificado algum problema de saúde, você deve procurar ajuda médica para descobrir quais tratamentos químicos e anabolizantes são adequados às suas necessidades e como eles podem ajudar a solucionar esse problema.


9. Abuso de álcool, drogas ou tabagismo


Muitos homens têm dificuldade em ejacular adequadamente quando estão fazendo sexo. É possível que isso seja devido ao abuso de álcool, drogas ou tabagismo. A falta de ereção ou ejacular pouco pode ser um primeiro sinal de problemas emocionais ou físicos relacionados ao uso excessivo de álcool, drogas ou tabagismo. Quando o uso excessivo de álcool, drogas ou tabagismo compromete o desempenho sexual, é importante procurar ajuda profissional.


É possível que o uso excessivo de álcool, drogas ou tabagismo seja a causa subjacente da falha na ereção ou da ejeção insuficiente. O uso excessivo dessas substâncias interfere na produção dos hormônios sexuais, no sistema circulatório e na produção dos neurotransmissores, prejudicando o funcionamento normal do sistema nervoso. Por isso, quando a ereção falha ou a ejeção é insuficiente, o uso excessivo de álcool, drogas ou tabaco pode ser o culpado.


Além disso, o uso excessivo de álcool, drogas ou tabaco pode afetar as habilidades motoras e o funcionamento cognitivo, tornando a ereção mais difícil de manter e a ejacular mais difícil de atingir. O abuso de álcool, drogas ou tabaco também pode causar depressão, que é outro fator que pode contribuir para a dificuldade em manter a ereção e ejacular.


Se você está sofrendo com esses problemas, é importante que você procure ajuda profissional. Um profissional de saúde poderá ajudá-lo a lidar com o uso excessivo de álcool, drogas ou tabagismo. Além disso, ele ou ela poderá realizar exames e avaliar qualquer outro problema de saúde que possa estar interferindo na sua vida sexual e na sua capacidade de ejacular. Com o tratamento adequado, é possível que você possa melhorar sua vida sexual e alcançar a satisfação que deseja.


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page